Notícias

Quarta-feira, 05 de fevereiro de 2020 às 08:01

Destrinchando a ISO 45001:2018

Content_iso-45001

Por: HAYRTON em 

A saúde e segurança no trabalho lida com todos esses aspectos no local de trabalho e tem um forte foco na prevenção primária dos riscos. A saúde dos trabalhadores tem vários determinantes, incluindo fatores de risco no local de trabalho, levando a câncer, acidentes, doenças osteomusculares, doenças respiratórias, perda auditiva, doenças circulatórias, distúrbios relacionados ao estresse e doenças transmissíveis, entre outros. O emprego e as condições de trabalho na economia formal ou informal abrangem outros determinantes importantes, incluindo horário de trabalho, salário, políticas no local de trabalho relacionadas à licença maternidade, provisões de promoção e proteção à saúde, etc. Dessa forma, é fundamental conhecer os especifica os requisitos para um sistema de gestão de saúde e segurança no trabalho (SST) e fornece orientação para o seu uso, permitindo que as organizações proporcionem locais de trabalho seguros e saudáveis, prevenindo lesões e problemas de saúde relacionados ao trabalho, bem como melhorando proativamente o seu desempenho de SST.

Dedicado ao estudo e à prevenção de lesões e doenças no local de trabalho, o campo da saúde e segurança no trabalho é responsável pelos resultados positivos alcançados pelos trabalhadores no mundo nos últimos 200 anos. Máquinas perigosas e fábricas mal ventiladas eram comuns, depois foram abertos os caminhos para ambientes mais seguros e limpos para os funcionários.

Contudo, no Brasil, ainda há muito o que fazer. A combinação de legislação, regulamentação do ramo executivo e autorregulação por empresas responsáveis vem gradativamente transformando os locais de trabalho. Como resultado, as taxas de acidentes e fatalidade na maioria das indústrias ainda se mantém altas.

Historicamente, o foco dos esforços de segurança e saúde ocupacional tem sido em ocupações de mão-de-obra manual, como trabalhadores de fábrica. Mas o campo agora abrange todas as ocupações. Além de garantir que os ambientes de trabalho (dos canteiros de obras aos prédios de escritórios) tenham precauções de segurança para evitar ferimentos, os especialistas em SST também trabalham para limitar os riscos de curto e longo prazo que podem levar a doenças físicas ou mentais agora ou no futuro.

Mais de três milhões de pessoas sofrem algum tipo de lesão ou doença grave relacionada ao trabalho todos os anos em diversos países. Outros milhões estão expostos a riscos à saúde ambiental que podem causar problemas daqui a alguns anos. Os pedidos de indenização totalizam mais de um bilhão de dólares por semana. Isso nem explica a perda de salários e outras despesas indiretas, como a diminuição da produtividade e o custo psicológico de experimentar ou cuidar de alguém com ferimento.

Pode-se acrescentar que os locais de trabalho, pela própria natureza da atividade desenvolvida e pelas características de organização, relações interpessoais, manipulação ou exposição a agentes físicos, químicos, biológicos, situações de deficiência ergonômica ou riscos de acidentes, podem comprometer a saúde e a segurança do trabalhador em curto, médio e longo prazo, provocando lesões imediatas, doenças ou a morte.

Os riscos podem ser classificados como: ambientais, ergonômicos e de acidentes. Os ambientais pode ser físicos que são representados por fatores ou agentes existentes no ambiente de trabalho que podem afetar a saúde dos trabalhadores, como: ruídos, vibrações, radiações, frio, calor, pressões anormais e umidade. Podem ser químicos que são identificados pelo grande número de substâncias que podem contaminar o ambiente de trabalho e provocar danos à integridade física e mental dos trabalhadores, a exemplo de poeiras, fumos, névoas, neblinas, gases, vapores, substâncias, compostos ou outros produtos químicos

Também podem ser biológicos que estão associados ao contato do homem com vírus, bactérias, protozoários, fungos, parasitas, bacilos e outras espécies de microrganismos. Os riscos ergonômicos estão ligados à execução de tarefas, à organização e às relações de trabalho, ao esforço físico intenso, levantamento e transporte manual de peso, mobiliário inadequado, posturas incorretas, controle rígido de tempo para produtividade, imposição de ritmos excessivos, trabalho em turno e noturno, jornadas de trabalho prolongadas, monotonia, repetitividade e situações causadoras de estresse.

Quanto aos riscos de acidentes, eles são muito diversificados e estão presentes no arranjo físico inadequado, pisos pouco resistentes ou irregulares, material ou matéria-prima fora de especificação, utilização de máquinas e equipamentos sem proteção, ferramentas impróprias ou defeituosas, iluminação excessiva ou insuficiente, instalações elétricas defeituosas, probabilidade de incêndio ou explosão, armazenamento inadequado, animais peçonhentos e outras situações de risco que poderão contribuir para a ocorrência de acidentes. Assim, para prevenir os acidentes e as doenças decorrentes do trabalho, a ciência e as tecnologias colocam à nossa disposição uma série de medidas e equipamentos de proteção coletiva e individual, visando, além de proteger muitos trabalhadores ao mesmo tempo, à otimização dos ambientes de trabalho, destacando-se por serem mais rentáveis e duráveis para a empresa.

Os equipamentos de proteção coletiva são todas as medidas ou dispositivos, sinais, imagens, sons, instrumentos ou equipamentos destinados à proteção de uma ou mais pessoas. Por exemplo, as escadas de emergência, os extintores de incêndio, etc. O Equipamento de Proteção Individual (EPI) é todo dispositivo de uso individual, destinado à proteção de uma pessoa. Por exemplo, botas, luvas, capacetes, etc. O acidente de trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa, provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause a morte, perda ou redução, permanente ou temporária, da capacidade do trabalho.

ISO 45001 – Sistemas de gestão de Saúde e Segurança no Trabalho (SST) – Requisitos com orientação de uso especifica os requisitos para um sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional (SST) e fornece orientação para o seu uso, permitindo que as organizações proporcionem locais de trabalho seguros e saudáveis, prevenindo lesões e problemas de saúde relacionados ao trabalho, bem como melhorando proativamente o seu desempenho de SST.

Este documento é aplicável a qualquer organização que deseje estabelecer, implementar e manter um sistema de gestão de SST para melhorar a segurança e saúde no trabalho, eliminar perigos e minimizar os riscos de SST (incluindo deficiências do sistema), tirar proveito das oportunidades de SST e resolver as não conformidades do sistema de gestão de SST associadas às suas atividades.

A norma ajuda uma organização a alcançar os resultados pretendidos de seu sistema de gestão de SST. Em consonância com a política de SST da organização, os resultados pretendidos de um sistema de gestão de SST incluem: melhoria contínua do desempenho de SST; cumprimento dos requisitos legais e outros requisitos; atingimento dos objetivos de SST.

Pode ser implementada a qualquer organização, independentemente do tamanho, tipo e atividades. É aplicável aos riscos de SST sob o controle da organização, levando em consideração os fatores como o contexto em que a organização opera e as necessidades e expectativas de seus trabalhadores e outras partes interessadas.

Dessa forma, a organização é responsável pela saúde e segurança no trabalho dos funcionários e outros que podem ser afetados por suas atividades. Esta responsabilidade inclui promover e proteger sua saúde física e mental. A adoção de um sistema de gestão de saúde e segurança no trabalho (SST) destina-se a permitir que uma organização forneça locais de trabalho seguros e saudáveis, evite lesões e problemas de saúde relacionados ao trabalho e melhore continuamente seu desempenho em SST.

O objetivo de um sistema de gestão de SST é fornecer uma estrutura para gerenciar os riscos e oportunidades de SST. Os objetivos e os resultados pretendidos do sistema de gestão de SST são prevenir lesões e problemas de saúde relacionados ao trabalho para os funcionários e proporcionar locais de trabalho seguros e saudáveis; consequentemente, é extremamente importante para a organização eliminar os perigos e minimizar os riscos de SST, tomando medidas preventivas e de proteção efetivas. Quando estas medidas são aplicadas pela organização em seu sistema de gestão de SST, elas devem melhorar seu desempenho de SST. Um sistema de gestão de SST pode ser mais efetivo e eficiente ao tomar medidas antecipadas para abordar as oportunidades que melhorem o desempenho de SST.

A implementação de um sistema de gestão de SST conforme este documento permite que uma organização gerencie seus riscos de SST e melhore seu desempenho de SST. Um sistema de gestão de SST pode ajudar a uma organização a cumprir seus requisitos legais e outros, sendo uma decisão estratégica e operacional para uma organização. O sucesso do sistema de gestão de SST depende de liderança, compromisso e participação de todos os níveis e funções da organização.

A Evidence pode ajudar na implementação da ISO 45001 e no treinamento da sua equipe!

Leia o artigo completo em: https://revistaadnormas.com.br/2020/01/21/destrinchando-a-iso-45001/




Sexta-feira, 18 de julho de 2014 às 19:18

OHSAS 18001 será a norma ISO 45001 e o primeiro projeto da norma sobre Saúde e Segurança no Trabalho da ISO já está disponível .

Content_img_ref1874_01

ISO 45001, que estabelece requisitos para os Sistemas de Gestão de Saúde e Segurança no Trabalho, chegou agora no estágio de projeto de norma. 

Este projeto de norma, inspirada na bem conhecida OHSAS 18001, foi concebido para ajudar as empresas e organizações em todo o mundo a garantir a saúde e a segurança das pessoas que trabalham para eles. 

Saiba mais acessando o link da notícia abaixo.